Plantão
Políciais

Operação policial combate crimes contra a fauna.

Publicado dia 10/06/2021 às 14h03min
Pesca ilegal e caça ilegal de animais silvestres são os principais casos. Foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão, nos municípios de Encantado, Muçum e Doutor Ricardo, na Região dos Vale

A Polícia Civil  deflagrou, nesta quinta-feira (10), a Operação Aureum, no combate a crimes contra a fauna na região de Encantado. Foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão, nos municípios de Encantado, Muçum e Doutor Ricardo, na Região dos Vales.

Segundo a delegada Marina Goltz, as ordens judiciais foram cumpridas nos endereços residenciais dos investigados para reforçar a autoria e materialidade dos delitos. A investigação refere-se a inquérito policial que tramita na Delegacia do Meio Ambiente do Deic que apura denúncia de pesca ilegal com instrumentos irregulares e de pescados proibidos, qualificados como ameaçados de extinção no RS, como o dourado, que dá nome à operação em latim.

A denúncia ainda aponta que os investigados realizam caça ilegal de animais silvestres com armas de fogo e intimidam a população ribeirinha para tolerarem a prática dos crimes de caça e pesca ilegal.

Durante a operação, foram apreendidas redes não permitidas para pesca, arbalete, armas de pressão, silenciadores, um revólver calibre 32, carabina fuzil calibre .22, munições calibre .32, espingardas, aves silvestres sem anilhas, celulares, pescados ilegais, documentos, diversas carnes de caça de animais silvestres, petrechos para recarga e barcos com motores.

Foram presas cinco pessoas em flagrante, sendo três homens na cidade de Muçum, os quais responderão pelo artigo 16 da Lei 10.826, dois  homens em Doutor Ricardo, os quais responderão pelo artigo 12 da Lei 10.826.

Os investigados poderão responder pelo crime previsto no art. 34 da Lei 9.605/98, com pena de detenção de um ano a três anos ou multa. A operação conta com o apoio de diversas equipes da Polícia Civil, bem como funcionários do IBAMA, SEMA – Sec. do Meio Ambiente do RS e da ARPA (Associação Riograndense de Proteção aos Animais).

Fonte: Polícia Civil/Divulgação - Pampa / scctv.net.br