Plantão
Política

Pastor Malafaia publica vídeo se retratando por espalhar fake news.

Publicado dia 11/11/2019 às 01h30min | Atualizado dia 11/11/2019 às 01h33min
Na ocasião, Malafaia usou as redes para declarar: “O criminoso q tentou matar Bolsonaro, é militante do PT e assessora a campanha de Dilma ao senado em Minas”.

O pastor Silas Malafaia, líder da igreja evangélica Vitória em Cristo, publicou no fim da noite de sábado (9), no Twitter, um vídeo se retratando por espalhar fake news durante as eleições presidenciais de 2018. Em setembro do ano passado, Malafaia fez uma série de publicações na rede social relacionando Adelio Bispo de Oliveira, autor do atentado contra Jair Bolsonaro, ao PT e à ex-presidente Dilma Rousseff. Na ocasião, o pastor escreveu que Adélio era militante do Partido dos Trabalhadores e que assessorava a campanha de Dilma ao senado. As informações são dos jornais O Globo e O Dia.

Na ocasião, Malafaia usou as redes para declarar: “O criminoso q tentou matar Bolsonaro, é militante do PT e assessora a campanha de Dilma ao senado em Minas”. A mentira logo tomou proporções e, por meio de nota, a assessoria da então candidata ao senado afirmou que medidas legais contra ele seriam tomadas.

Poucos minutos depois, ainda na mesma semana, Malafaia se “retratou” na rede com a seguinte mensagem: “A VERDADE DÓI NOS ESQUERDOPATAS E PETRALHAS! Eu não falei que o criminoso que tentou matar Bolsonaro é funcionário de Dilma, eu falei que assessora no sentido de apoiar a campanha dela. Foi preso com 4 telefones e 1 lap top, sempre apoiando as causas petistas. ELE APOIA DILMA!”.

Mais de um ano depois, o vídeo divulgado por Malafaia mostrava um tom diferente de retratação da informação. Ele classificou o atentado contra Bolsonaro como “horroroso”, afirmou que era cuidadoso com o que postava nas redes sociais, mas frisou que “a verdade é algo que a gente tem que dizer”.

“Na época, eu disse que o tal do Adélio era assessor de Dilma. Nunca foi assessor de Dilma. Tem que ser honesto com isso aí. Ele já teve vínculo lá atrás com o PSOL, mas nunca assessorou Dilma em campanha. Estou aqui corrigindo porque eu fiz uma declaração na época e essa declaração, e olha que eu sou cuidadoso, de ver coisa em rede social e soltar. Mas na época, eu soltei, postei no Twitter fazendo a reconsideração, e agora to reconsiderando aí nesse vídeo. Tá certo? A verdade é a verdade”, diz Malafaia em vídeo.

As postagens contendo informações falsas, publicadas por Malafaia no ano passado, tiveram grande repercussão na eleição presidencial. Questionado pelo jornal O Globo à época sobre a postagem, Malafaia afirmou que, ao usar a palavra assessor, quis dizer que Adélio fazia campanha para a petista.

A assessoria de imprensa de Dilma Rousseff informou à época, também pela mesma rede social, que a campanha da ex-presidente entraria com processo por injúria, calúnia e difamação contra Malafaia.

Fonte: Twitter