>>> Escute nossa rádio enquanto ler o artigo <<<

Jaqueline Tedesco comemorava a conclusão do curso de Direito na Furg quando ocorreu a tragédia

Morre a jovem gaúcha que teve o corpo queimado em restaurante ao comemorar formatura

Polícia

Jaqueline Tedesco comemorava a conclusão do curso de Direito na Furg quando ocorreu a tragédiaFoto: Reprodução/Redes sociais

Faleceu nesta sexta-feira (15) a jovem Jaqueline Tedesco, 26 anos, que teve mais de 30% do corpo queimado por equipamento de fondue em um restaurante de Rio Grande. O acidente ocorreu na noite de sábado passado (9), quando ela comemorava com familiares a sua formatura em Direito pela Furg, Universidade Federal localizada na cidade da Região Sul do Estado.

De acordo com testemunhas, Jaqueline – de origem indígena caingangue – jantava com seus convidados em uma das mesas do estabelecimento quando uma garçonete foi reabastecer com álcool a chama doréchaud (espécie de fogareiro utilizado para manter alimentos aquecidos). Houve uma explosão e a bacharel acabou atingida gravemente no rosto,  tórax, braços e mãos.

Também ficaram feridos a funcionária (que precisou de atendimento médico, sem hospitalização) e, com menor gravidade, a mãe e o namorado da formanda, ao tentarem socorrê-la. Já seu pai nada sofreu. Jaqueline permaneceu durante seis dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa local e teve seu quadro agravado até sofrer duas paradas cardiorrespiratórias.

Apos o velório em Rio Grande, o corpo será sepultado neste sábado (16) na cidade de Garibaldi (Serra Gaúcha), onde ela morava com família antes do ingresso na faculdade. A direção da Furg decretou luto oficial na instituição de ensino superior e emitiu nota de pesar:

“Com grande pesar a FURG comunica o falecimento da bacharel em Direito Jaqueline Tedesco, ocorrido nesta sexta-feira, 15 de março. Ela era estudante indígena de origem kaingáng e colou grau em solenidade realizada no último sábado, dia 9.

Jaqueline contribuiu intensamente com o seu curso de graduação e com a universidade, dedicando-se ao Coletivo Indígena da Universidade e liderando a Casa de Estudante. Foi bolsista, integrante do Diretório Central de Estudantes e do Diretório Acadêmico Rui Barbosa (Darb) do curso de Direito, assim constituindo-se como grande referência do movimento estudantil. A Furg se solidariza com familiares e amigos neste momento de pesar e declara luto oficial”.

Investigação

Somente após a conclusão do laudo necropsial se poderá determinar a causa do óbito. A Polícia Civil apura o caso, que agora pode passar de lesão corporal a homicídio culposo (quando não há intenção de matar) e deve ampliar a tomada de depoimentos, bem como realizar análise pericial em itens como o aparelho de fondue que gerou o acidente e uma câmera interna do restaurante.

Nascida na cidade de Planalto (Norte gaúcho), Jaqueline foi a quarta mulher indígena na história dos alunos da Furg. E a primeira com tal origem a militar do movimento social Kizomba, que atua em todo o País na defesa dos direitos de minorias. Também se tornou a primeira mulher no comando da Coordenação Geral do Diretório Central de Estudantes (DCE) da Furg. ( Marcello Campos)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *